Concertos IV SVL


O Duo Ofélia foi criado em 2017 com o objetivo de explorar repertório composto para voz e violino. É formado pela soprano Janaina Avanzo e a violinista Naianne Cunha, ambas alunas no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (CMU-ECA/USP). O repertório do duo inclui, além do próprio Villa-Lobos (a especialíssima Suíte para canto e violino, de 1923), compositores como Gustav Holst e Ralph Vaughan-Willians.


Unicamp Cello Ensemble

O Cello Ensemble Unicamp/USP/EMESP é um grupo criado especialmente para o IV SVL, fruto da colaboração dos departamentos de música UNICAMP e USP e da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim), cujos alunos de violoncelo são orientados respectivamente por Lars Hoefs e Robert Suetholz.

Lars Hoefs, violoncelo
O violoncelista norte-americano Lars Hoefs, professor de violoncelo e História da Música na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), desempenha e ensina na América do Sul, nos Estados Unidos e na Europa. 2018 incluiu concertos e cursos no Chile, França, Irlanda, Espanha, Alemanha, e no University of Anchorage, Alaska, bem como apresentações solos com orquestras brasileiras. Ele publicou recentemente um artigo na revista The Strad sobre a história do cello ensemble.
Lars estabeleceu-se como um dos principais especialistas no repertório de violoncelo do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos e foi o primeiro violoncelista a realizar juntos em um programa as obras completas para cello e orquestra de Villa-Lobos. Lars é diretor artístico do Villa-Lobos International Chamber Music Festival no sul da Califórnia, o único festival dedicado à música de câmara latino-americana nos Estados Unidos. O festival vai realizar sua quinta edição em janeiro. Lars também promove ativamente a música brasileira contemporânea, estreando e gravando obras dos compositores Liduino Pitombeira, João Guilherme Ripper, Paulo Costa Lima e Paulo C. Chagas, entre outros.
Como solista no Brasil, nos últimos anos, Lars realizou concertos de Haydn, Schumann, Saint-Saëns, Lalo, Tchaikovsky, Dvořák, Elgar e Villa-Lobos. Notavelmente, Lars deu a estreia sul-americana do Concerto para violoncelo da Korngold, além de desempenhar o papel principal no Don Quixote de Richard Strauss com o Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. Em 2009, Lars passou o ano como co-principal violoncelista da Orquestra Sinfônica Brasileira.
Nascido em Appleton, Wisconsin, Lars obteve seu diploma de ensino médio na North Carolina School of the Arts, um Bacharelado da Northwestern University estudando com Hans Jorgen Jensen, e ambos os cursos de mestrado e doutorado da University of Southern California, em Los Angeles, onde estudou com o ex-spalla da Los Angeles Philharmonic, Ronald Leonard. Na Universidade Estadual de Campinas, Lars fundou e lidera o Unicamp Cello Ensemble, uma orquestra de violoncelos sem regente composta por seus atuais e antigos estudantes de violoncelo. O Unicamp Cello Ensemble atuou nos mais prestigiados festivais e salas de concerto do Brasil, incluindo o Festival de Música de Inverno de Campos do Jordão, o Rio International Cello Encounters e o Centro Cultural de São Paulo para citar alguns. Em 2016, gravaram um CD de estreias mundiais, com o Divertimento de Lalo Schifrin, e realizarem turnê pelo estado de São Paulo. Recentemente o Unicamp Cello Ensemble apresentou vários concertos na Califórnia, colaborando com cellistas para música de cinema em Hollywood e o Los Angeles Philharmonic.

Robert Suetholz, violoncelo
Natural de Milwaukee, Wisconsin, EUA. Trabalhou sob orientação de George Sopkin, membro-fundador do Quarteto Fine Arts, seu sucessor Wolfgang Laufer, e Uzi Wiesel, ex-violoncelista do Quarteto de Cordas de Tel-Aviv, Israel. Obteve seu Mestrado em Violoncelo em 1998, sob a orientação de Hans Jørgen Jensen, da Universidade de Northwestern, em Chicago (EUA) e seu Doutorado em Música pela USP em 2011. Atuou em várias orquestras internacionais, como a Israel Sinfonietta (spalla dos violoncelos) e a Orquestra Sinfônica de Milwaukee (EUA), entre outras. Residindo no Brasil desde 1985, foi spalla dos violoncelos das orquestras sinfônicas da USP, do Estado de São Paulo e da Sinfonia Cultura – Orquestra da Rádio e TV Cultura. Foi violoncelista do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo durante 25 anos, se desligando deste no final de 2016. É professor de violoncelo no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da USP desde 1989. Em 2015, lançou o livro Técnicas de reeducação corporal e a prática do violoncelo e em 2018, em parceria com Luiz Amato, a tradução do livro de Leopold Auer intitulado O violino segundo meus princípios, ambos pela Editora Prismas.


Flávio Apro, violão

Flávio Apro é reconhecido por seu trabalho como produtor, pesquisador e professor. Mestre pela UNESP e Doutor pela Universidade de São Paulo, foi um dos discípulos de Monina Távora, de quem herdou o estilo Tárrega/Segovia. Apro é um dos mais reconhecidos pesquisadores da área de Performance Musical, com diversos livros e artigos publicados. Sua pesquisa acadêmica resultou no lançamento do CD “Francisco Mignone – Doce Estudios Para Guitarra”, no México. Apresenta-se nas principais salas de concerto brasileiras, nas Américas, Europa e Ásia. Sua atividade como professor é amplamente respeitada, como efetivo de violão na UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ e como pesquisador visitante na CALIFORNIA STATE UNIVERSITY FULLERTON, além de outras instituições internacionais, onde leciona em inglês, alemão, espanhol, italiano e húngaro. Lançou diversos CDs para o prestigiado selo Brilliant Classics na Holanda, tais como “Flavio Apro Plays Napoleon Coste”, “Nocturne” e “The Brazilian Guitar”, assim como “O Violão Brasileiro” patrocinado pelo Ministério da Cultura.

Maiores informações sobre o artista: albertaugustine.comartist/flavioapro