Concerto 10/11, sexta

Programa

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)

  • 12 estudos para violão (1929)
  • Bachianas Brasileiras no. 5 – “Ária” (1938, poesia de Ruth Valadares Correa)/ Passarim (Tom Jobim), voz e viola (arranjo: Ivan Vilela)
  • Seresta nº5 – “Modinha” (poesia de ‘Manduca Piá’, pseudônimo de Manuel Bandeira), duas vozes, violão e viola (arranjo: Ivan Vilela)

Heitor Villa-Lobos: 12 Estudos para violão

Texto de Edelton Gloeden

A música para violão de Villa-Lobos faz sua primeira mudança de perfil a partir do primeiro período vivido na França em Paris, quando o compositor manteve contato com violonistas como Miguel Llobet, Regino Sainz de la Maza e Andrés Segovia e se interava das manifestações musicais daquele momento. Os 12 Estudos para violão, compostos naquele momento partir de1924 e concluídos em 1928, segundo a recente edição feita pelo violonista suíço Frederic Zigante, é único ciclo de estudos para instrumento solo de toda a produção de Villa-Lobos e do repertório do instrumento da primeira metade do Séc. XX.

Podemos coloca-lo no contexto das obras dos grandes mestres que emanciparam a forma e que por sua vez, revolucionaram a técnica instrumental. São os casos de Paganini, Chopin, Liszt, Rachmaninoff, Debussy e Ligeti. Por certas características peculiares, como a exposição e a distribuição dos recursos técnicos em caráter transcendental dentro de um plano musical superior, o contexto do grande ciclo, o número de unidades, o controle das durações específicas e do todo e o poder de síntese da linguagem instrumental, podemos estabelecer paralelos e afinidades com os ciclos de Chopin e Debussy. No plano nacional, esta obra serviu de referência para a composição dos grandes ciclos de estudos como os de Francisco Mignone e Radamés Gnattali.

Depois da 1ª. edição de 1953 com dedicatória a Andrés Segovia, que escreveu um histórico prefácio, esta obra ficou em compasso de espera durante muito tempo até começar a ser assimilada a partir dos anos 60.


Músicos


Vinícius Nogueira, violão

foto: Sissy Eiko

Iniciou seus estudos musicais no Instituto Pró-Educação Comunitária, com o prof. Valter Campelo. Em 2007 ingressou no Centro de Estudos Musicais Tom Jobim onde estudou com o violonista Prof. Everton Gloeden. No ano seguinte foi 1º colocado nos concursos FITO e Musicalis, além de participar do Ensemble de Violões do 1º Festival Leo Brouwer. Em 2010 ingressou na graduação do Depto. de Música da ECA/USP onde trabalha sob orientação do Prof. Dr. Edelton Gloeden. Novamente, em 2011, obteve o 1º lugar no concurso de violão FITO e foi participante ativo das Master Classes do Maestro Brouwer no 3º Festival Leo Brouwer. Atualmente é professor no Programa GURI Santa Marcelina.


Gina Falcão, soprano

gina

foto: Sissy Eiko

Iniciou os estudos de música no Conservatório Alberto Nepomuceno em Fortaleza, Ceará. Mestranda em música pela USP e licenciada em música pela USP. Bacharel em canto lírico pela FAAM na classe de Carmo Barbosa.  Participou de óperas e montagens sinfônicas como solista e coralista. Como camerista tem se apresentado com repertório de música brasileira e obras do romantismo alemão. Atua como cantora em grupos de música popular brasileira e exerce atividade pedagógica na área de preparação e técnica vocal.  Participa do grupo de pesquisa Artes do Canto – GEPEMAC.  Atualmente desenvolve pesquisa para montagem de espetáculo infantil João e a Rosa abordando o gênero Modinha.


Ivan Vilela, viola caipira

Ivan Vilela

Com seus CDs foi indicado a prêmios voltados à Cultura e à Música Brasileira como Prêmio IBAC (Instituto Brasileiro de Arte e Cultura), Interações Estéticas – FUNARTE, Prêmio Rival BR de Música Popular Brasileira, Prêmio Sharp, Prêmio da Música Brasileira, Prêmio Movimento, Medalha Carlos Gomes da Secretaria do Estado da Cultura de São Paulo e Prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Doutor em Psicologia Social pela USP, Mestre e Graduado em Composição Musical pela UNICAMP, onde foi aluno de Almeida Prado, é professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo onde leciona História da Música Popular Brasileira, Percepção Musical, Rítmica, Música de Câmara e Viola Brasileira. Já realizou concertos e conferências em todo o Brasil e na Alemanha, Argentina, Bélgica, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Itália e Portugal. Seus escritos transitam entre as música e a cultura popular brasileira. Seu livro “Cantando a Própria História – Música Caipira e Enraizamento”, 2013, foi lançado pela EDUSP na Feira Internacional do Livro em Frankfurt, Alemanha. Possui intensa atividade como instrumentista, compositor e arranjador atuando como solista e junto a grupos e orquestras. Suas pesquisas estão voltadas ao universo da Cultura Popular e da Música Popular Brasileira.


violeiro Adonias Calebe
Adonias Calebe, foto Sissy Eiko

Adonias Calebe, natural de Minas Gerais, é violeiro e professor de música. Possui formação técnica em flauta-doce pelo Conservatório Estadual de Música de Pouso Alegre – MG e atualmente está finalizando a graduação em Composição Musical. Realizou trabalhos na área da música antiga com o grupo Le Bizarre, na área da música instrumental brasileira com o grupo Trem 205, além de composições autorais. Atualmente dedica-se a pesquisa da música do compositor baiano Elomar e atua na prosa musical “João e Rosa” com o coletivo Ana Helena.


Valentina Maitá

Cantora Valentina Maitá
Valentina Maitá, foto: Amanda Amaral

Cantora de formação erudita e popular, começou a estudar canto em 2006 e foi aluna de Pedro Mourão e Monica Thiele. Cursa o Bacharelado em Canto e Arte Lírica pela Universidade de São Paulo, sob orientação dos professores Francisco Campos Neto e Ricardo Ballestero. O principal foco de seu trabalho é a canção artística ou canção de câmara, em que se preocupa com a recepção do público ao repertório vocal a partir de cuidadosas escolhas estéticas e interpretativas, que ora privilegiam a clareza do texto, ora as
possibilidades da voz como instrumento. É estudante de eutonia desde 2008 pelo Instituto Brasileiro de Eutonia e se utiliza dos recursos oferecidos pela consciência corporal para seu estudo pessoal e aplicadas